Edgar Degas

Edgar Degas (1834-1917) foi um pintor impressionista francês, consagrado por suas pinturas femininas, sobretudo pela série das bailarinas e também pelo efeito de movimento retratado em suas obras.

Edgar Degas, nome artístico de Hilaire-Germain-Edgar de Gas, nasceu em Paris, França, no dia 19 de julho de 1834. Filho e neto de banqueiros, Degas ficou órfão de mãe com 13 anos de idade. Revelou uma inclinação precoce para as artes plásticas. Ainda menino acompanhava o pai aos salões do Louvre e visitava as coleções particulares de pintura da classe alta parisiense. Em 1845 foi matriculado no Liceu Louis-le-Grand, onde completou o colegial. Dedicado ao desenho e à pintura abriu um estúdio na residência da família.

Apesar do gosto pelas artes, em 1852, ingressou no curso de Direito, seguindo a tradição das famílias burguesas, mas dois anos depois, com permissão do seu pai, abandonou o curso para se dedicar exclusivamente à pintura. Frequentou o ateliê de Felix Joseph Barrias. Estudou com Louis Lamothe, discípulo de Ingres, e em 1855 conheceu pessoalmente o pintor Jean Auguste Ingres, que o aconselhou a explorar as linhas em suas telas.

Edgar Degas realizou três viagens à Itália, se empenhando no estudo do Renascimento italiano, quando esteve em Roma, Nápoles, Assis e Florença, onde ele visitou seus tios e primos, os Bellelli, em 1858, ano em que iniciou a tela “A Família Bellelli”, onde retratou suas primas, sua tia Laura e seu tio Genaro. A obra só foi concluída em 1867.

Edgar Degas
A Família Bellelli (1867)

Em 1862, Degas retornou à Paris, ano em que conheceu Édouard Manet que o aproximou do grupo de artistas que mais tarde seria conhecido como “Impressionistas”. Ainda na década de 1860, Degas iniciou uma série de retratos, principalmente de músicos que se apresentavam na casa de seu pai. Em uma visita à casa de amigos, na Normandia, começou a se interessar pela pintura de cavalos e passava horas no hipódromo de Longchamp.

Em 1870, quando a França entrou em guerra com a Prússia, Degas alistou-se na Guarda Nacional. Nessa época seus problemas de visão se agravaram, o que o atormentou pelo resto da vida. De volta à Paris, em 1872, passou a frequentar as apresentações do balé da Ópera de Paris, inclusive os ensaios, época em que iniciou a pintura da série de bailarinas. Interessado, sobretudo, pelo traço e pelo sentido de movimento, suas imagens são sempre cortadas nas bordas dos quadros, como se fosse uma foto mal enquadrada.

Edgar Degas
Aula de Dança (1874)

Em 1874 seu pai falece e Degas assume as dívidas deixadas pelo banco. Nesse mesmo ano, participa da exposição dos Impressionistas, que embora não tivessem metas declaradas ou manifesto, suas obras compartilhavam algumas técnicas e certos temas, que rejeitadas pelo Salão oficial e precisando de sucesso comercial, realizam sua primeira exposição. Degas, diferente dos outros artistas, não era adepto da pintura ao ar livre, preferia produzir no estúdio. Entre os 39 expositores estavam Monet, Renoir, Paul Cézanne e Camille Pissarro. Degas participou de sete das oito exposições do grupo.

Edgar Degas era um homem tímido o que dificultava sua vida social. Com uma língua ferina recebeu o apelido de urso, animal cuja aproximação era perigosa. Em seu estúdio, mesmo em desordem, poucos tinham permissão para entrar, além dos modelos e marchands. Na década de 1880, com a visão bastante comprometida, sua pintura passou a ter menos detalhes e trabalhava mais com o tom pastel. Em 1881 expôs sua primeira escultura, representando uma pequena bailarina. Produziu uma série de 73 bailarinas em bronze. Produziu também os 10 famosos pastéis da série de nus femininos, que foram expostos o 8.º Salão dos Independentes em 1886.

Em 1912, quase cego e com a saúde debilitada, viu seu estúdio, que ocupou durante 23 anos, ser expropriado. Apesar de suas telas terem atingido altos preços em um leilão, Degas se ressentia pela falta de dinheiro. Depressivo, passou seus últimos dias na solidão, ou na companhia de poucos amigos.

Edgar Degas faleceu em Paris, França, no dia 27 de setembro de 1917.

Fonte: e.biografias.

Edgar Degas – outra versão.

Edgar Degas: um dos grandes artistas do impressionismo francês (autorretrato)
Edgar Degas: um dos grandes artistas do impressionismo francês (autorretrato)

 

Quem foi

Edgar Hilaire Germain de Gas, popularmente conhecido apenas por Edgar Degas, foi um importante pintor, escultor e gravurista francês. Nasceu em 19 de julho de 1834 em Paris e faleceu, na mesma cidade, em 27 de setembro de 1917. Fez parte do movimento artístico conhecido como impressionismo, embora suas obras possuíssem fortes elementos do Realismo e do Renascimento italiano. Suas obras, sobretudo da última fase, apresentam elementos do Modernismo.

Principais características do estilo artístico de Degas

– Obras de arte de Degas são marcadas pela suavidade.
– Uso de cores em tom pastel e suaves na primeira fase de sua vida artística. Na década de 1860, passou a utilizar tons mais vibrantes.
– Abordagem de cenas do cotidiano, paisagens e retratos individuais.
– Pintura de bailarinas, mulheres, concertos e óperas.
– Pintura histórica, sobretudo a partir da década de 1860.

Principais momentos da vida de Degas

– Na juventude passou a dedicar-se às artes plásticas ao entrar para o Lycee Louis Le Grand.
– Estudou desenho com o grande artista francês Louis Lamothe.
– Viajou para a Itália e entrou em contato direto com as obras do Renascimento italiano, principalmente, Michelangelo, Leonardo da Vinci e Rafael Sanzio.
– Em 1870 foi convocado pelo exército francês para lutar na Guerra Franco-Prussiana.
– Após a guerra foi morar por 5 meses na cidade de Nova Orleans (sul dos Estados Unidos).
– Sofreu em 1874 com a morte do pai. Para pagar as dívidas do falecido, teve que vender várias obras de arte.
– Em 1874 apresentou suas obras na Primeira Exposição Impressionista.

Principais obras de Degas:

– Retrato da família Bellelli

– Os jovens espartanos e semíramis fundando uma cidade


– A dama dos crisântemos

– A estrela

 

– O absinto


– Paisagem


– A Bolsa de algodão de Nova Orleans


– O pedicuro


– Nas corridas


– Cavalos de Corridas


– Retrato de duas meninas


– Place de La Concorde


– Esboço de lavadeiras


– A Aula de Dança


– A primeira bailarina


– A pequena bailarina de catorze anos (escultura)


– A banheira

 

– Mulheres passando roupa


– Dançarinas atando as sapatilhas

Fonte:

Mais uma versão:

Vida e obra de Edgar Degas (1834-1917).

Existe o amor e existe o trabalho, mas se tem apenas um coração“. Esta frase, proferida pelo próprio Degas, reflete a escolha de vida desse excepcional artista, que viveu para a arte trabalhando incessantemente, mas que nunca teve um relacionamento amoroso “de verdade”.

Hilaire-Germain-Edgar De Gas provinha de família abastada e nasceu em 19 de julho de 1834, em Paris. Descendia, por parte de pai, de ricos banqueiros napolitanos, e sua mãe era uma americana de Nova Orleans. Filho de apreciadores de música e artes plásticas, foi privilegiado por desfrutar do incentivo do pai, que permitiu que o jovem artista transformasse um dos quartos do apartamento em ateliê.

Foi também com o apoio do pai que o jovem Edgar abandonou a faculdade de Direito para se dedicar exclusivamente à arte: discípulo do pintor Félix-Joseph Barrias e depois de Louis Lamothe (que havia sido discípulo de Ingres), Degas logo realizaria viagens à Itália, passando por Roma, Assis, Orvieto e Nápoles. É dessa época seu notável retrato “A Família Bellelli”, onde podemos notar uma “tensão” na expressão de seus tios, que viviam em Florença. Durante suas viagens à Itália (três em quatro anos), se empenha no estudo de artistas renascentistas, cuja maneira de desenhar seria de fundamental influência para o pintor.

Na sua volta a Paris, em 1862, conhece Édouard Manet, que viria a ser seu grande amigo e lhe apresentaria ao círculo de artistas que algum tempo mais tarde formaria o grupo dos “impressionistas”. Homem de personalidade arredia e fechada, Degas tinha forte tendência para a melancolia, além de uma língua ferina. Chegou a ser apelidado de “Urso”, dado o “perigo” que corriam aqueles que dele se aproximavam.

Sua proposital reclusão, porém, foi fundamental para que desenvolvesse seu apurado método artístico: incansáveis croquis e esboços eram feitos antes de cada tela. Ainda que muitas vezes apresentasse trabalhos de aparente simplicidade e casualidade, era através de muito estudo que conseguia atingir seu objetivo: obras quase “fotográficas”, com cenas que parecem captar um momento único e inesperado, impressões efêmeras (daí sua inclusão entre os impressionistas) de uma espontaneidade calculada. “O que faço é resultado da reflexão e do estudo dos grandes mestres, não sei nada a respeito da inspiração“, afirmava.

Ao contrário dos impressionistas mais “puros”, gostava de trabalhar dentro de seu estúdio, fazendo uso de iluminação artificial. Era desse modo que conseguia apurar os traços do desenho. Seu objetivo era conciliar técnicas tradicionais com temas de sua época: personagens comuns como bailarinas, cavalos, mulheres trabalhando ou em momentos de intimidade eram seus preferidos.

Nos últimos anos de vida Degas foi progressivamente perdendo a visão, o que fez dele uma pessoa ainda mais reclusa e de difícil convivência. Isolado e com poucos amigos, viria a morrer em 27 de setembro de 1917, na Paris onde sempre viveu.

Curiosidades


  • No Brasil
    O Museu de Arte de São Paulo possui uma fantástica série de 73 bronzes de bailarinas de Degas, fundidas por marchands entre 1912 e 1921. Em 2006, o museu realizou uma exposição dedicada ao artista, intitulada “Degas: O Universo de um Artista”, com 196 peças (120 de sua autoria, entre pinturas, desenhos e esculturas; a mostra abrangia também trabalhos de artistas que o influenciaram ou que foram influenciados por ele, como Ingres, Corot, Toulouse-Lautrec e Picasso).
  • Carroceiros
    Quando estava com 56 anos e já sentindo sua vista piorar, Degas empreendeu uma feliz viagem de carroça pela região da Borgonha, na França, juntamente com seu amigo Paul Bartholomé, que era escultor. Juntos percorreram diversas cidades, totalizando 567 quilômetros de percurso. Levados apenas por um cavalo branco, os artistas iam parando de cidade em cidade, onde apreciavam a comida local e por vezes eram recebidos até com honrarias cívicas.
  • Japão, Londres e Nova Orleans
    Além da Itália, Degas foi influenciado por elementos desses três locais: era um ávido colecionador de estampas e ilustrações japonesas, das quais tirou inspiração para retratar suas mulheres se banhando, por exemplo; em Londres, tomou conhecimento das paisagens de John Constable, e em Nova Orleans, onde passou vários meses, conheceu a atmosfera das bolsas de mercadorias, cada vez mais importantes na então crescente sociedade industrial. Ali pintou “A Bolsa de Algodão de Nova Orleans”, de temática inovadora para a época.

Contexto histórico

Edgar Degas foi um típico artista do século 19: época de grandes mudanças geopolíticas, avanços tecnológicos e, no caso de pintores como ele, grandes mudanças na maneira de se fazer arte. O Realismo, em oposição ao Romantismo, baseando-se na razão, no desenvolvimento da ciência e no retrato da realidade, era a corrente “do momento”. E os Impressionistas, grupo onde Degas geralmente é enquadrado, foram revolucionários ao propor uma nova maneira de pintar, onde o movimento e a luz eram os elementos mais importantes das obras, com pinceladas mais soltas e ligeiras, fugindo da maneira “clássica” e acadêmica de fazer arte. Pintar à luz do sol era outra característica desses artistas.

Degas, por vezes, gostava de se classificar como um pintor “realista”. Numa de suas declarações, porém, chegou a afirmar: “Feliz de mim, que não encontrei o meu estilo, coisa que me faria muita raiva!”. Obcecado pelas linhas de Ingres, mesclou em seu trabalho diversos conhecimentos das artes clássicas, de inspiração renascentista, com inovações típicas dos pintores de sua época, como a maneira diáfana de usar a tinta e a preferência por retratar cidadãos comuns, populares, desconhecidos. O Impressionismo seria o estopim para diversos movimentos de ruptura da Arte Moderna.

Das oito Exposições Impressionistas realizadas entre 1874 e 1886, Degas participou de sete. Porém, em vida, teve apenas uma mostra individual concretizada. Seu verdadeiro reconhecimento viria apenas após sua morte. Nessa ocasião, a Europa vivia os horrores da 1ª Guerra Mundial. Por sinal, algumas décadas antes, por volta de 1870, o artista serviu no setor de artilharia durante a guerra Franco-Prussiana, da qual a França sairia perdedora e teria início a República.

Sites relacionados

  • The Edgar Degas Website – Museu permanente dedicado ao artista francês.
  • OCAIW – Também em português, este site traz biografia, livros indicados e diversas imagens de trabalhos do artista.
  • ArtCyclopedia – Este site lista museus pelo mundo que contêm trabalhos de Edgar Degas.
  • Principais obras
  • 1. “A Aula de Dança” (1873-75) – Inovador por retratar jovens durante um ensaio rotineiro, muitas delas em posições casuais, banais.
  • 2. “Pequena Bailarina aos 14 anos” (1881) – Feita a partir de uma garota pobre e “anônima”. Inovadora por “vestir” roupas e peruca.
  • 3. “Depois do Banho” (1888-92) – Um dos muitos trabalhos de Degas que “flagra” uma mulher desconhecida em pose de extrema intimidade.
  • 4. “Mulheres Passando Roupa” (1884) – Quem imaginaria retratar passadeiras comuns? Uma delas, inclusive, está bocejando no “instante” do quadro.
  • 5. “Os Jovens Espartanos” (1860) – Um dos primeiros trabalhos de Degas a ganhar reconhecimento. O tema clássico seria logo abandonado por ele.

Fonte:

http://mestres.folha.com.br/pintores/19/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s